"NÓS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA, NÃO QUEREMOS SER QUALIFICADOS E SIM OS MELHORES"

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

17 de fev de 2017

ESCLARECIMENTO SOBRE SEGURANÇA PRIVADA PARA POLÍCIA PRIVADA


SEGURANÇA PRIVADA 

Autor da Matéria: Paulo Mello 

Olá profissionais de segurança privada e apreciadores do serviço de segurança, estou aqui em primeira mão esclarecer uma polêmica e até mesmo uma informação que esta chegando com grande veracidade ao conhecimento de alguns, é que esta circulando em redes sociais como Whats e Face um Abaixo Assinado criado no site de Petição Pública aberta ao público em geral para criar temas, e este assunto encontra-se lá no site com o tema: Ao Senado Federal " Mudança da profissão de vigilante / Segurança Privada para Polícia Privada, endereçado para Senado Federal, Câmara Federal e também ao Ministério da Justiça, esta mudança não se trata de um projeto  parlamentar e sim de um cidadão comum,  provavelmente seja um  profissional da vigilância que resolveu criar este tema e colher assinaturas e enviar ao Senado Federal, você poderá ver o link deste assunto na íntegra no endereço http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR93371

Devemos lembrar que o serviço de Segurança Pública e Segurança Privada são totalmente diferenciados, não será aprovado até mesmo por questão Constitucional o qual diz que Segurança Pública é exclusividade do Estado, este tipo de mudança de nome não vai trazer mais credibilidade ou autoridade para os profissionais de segurança privada e sim mais responsabilidade que não cabe á nós e sim aos governos, como diz um ditado popular "cada macaco no seu galho", quando foi criado a GM- Guarda Municipal a mesma tinha somente o função de cuidar do patrimônio público municipal e nada mais, de uns tempos para cá a mesma esta exercendo a função de polícia o qual só veio trazer grandes transtornos a corporação, nós somos já uma extensão e apoio da segurança pública mas com poder limitado e isto já é o suficiente para nossa profissão, a Policia Federal esta estudando a cada ano rever a formação do profissional de segurança privada com exigências como formação acadêmica de Ensino Médio, testes psicotécnicos mais rigorosos, curso de formação com mais horas aula, conhecimentos mais aprofundados de legislação, o profissional de segurança privada esta criando uma imagem perante a sociedade de respeito e profissionalismo, ninguém mais vê o vigilante como " guardinha, guardião, vigia" apesar de existir estas profissões as mesmas não tem formação profissional, temos que nos unir em nível nacional e lutar por  um salário mais digno á todos como foi sugerido e criado  pelo parlamentar Paulo Paim PT/R que esta em votação , um salário nacional de RS 3,000,00 para todos os vigilantes do território nacional, vale lembrar que já foi aprovado o Estatuto da Segurança Privada que trouxe ao serviço de segurança privada e ao  profissional  um melhor amparo e  organização ao serviço, alguns itens não foram aprovados como a mudança de armamento pesado a segurança, vamos ver que os avanços estão surgindo conforme a necessidade do mercado.

Como sempre eu digo em minha frase de cunho pessoal a muitos guerreiros " Nós profissionais de segurança privada não queremos ser apenas qualificados e treinados, queremos sim ser os melhores no que fazemos" Autor: Paulo Mello.

EXISTE POLÍCIA PRIVADA? CONFIRA NO PAPO VIGILANTE QAP

SEGURANÇA PRIVADA

Muito se comenta na mudança do nome Vigilante para Polícia Privada, neste vídeo o profissional Edirlan Silva irá  falar a respeito e esclarecer mais sobre o assunto.

Vamos realmente esclarecer o que ocorreu na verdade é que esta gerando uma grande 

Loja Vigilante QAP
http://vigilanteqap.com.br/loja

Facebook www.facebook.com/vigilanteqap
Instagran @edirlansilva
Twitter @edirlansilva
Snapchat edirlansilva

Quer me enviar algo?
EDIRLAN S. DE A. E SILVA
CAIXA POSTAL 044504
SERRA-ES
CEP: 29164-973

Site oficial: www.vigilanteqap.com.br

30 de jan de 2017

CONFIRA AS PRINCIPAIS PROPOSTAS APROVADAS NA CÂMARA SOBRE SEGURANÇA PRIVADA


SENADO FEDERAL 

Conhecido como Estatuto da Segurança Privada, o PL 4238/12, do Senado, foi aprovado pelo Plenário para regulamentar a atuação das empresas de segurança privada e de transporte de valores e disciplinar detalhes da segurança em bancos. Como a matéria foi modificada, ela retorna ao Senado para nova votação.

O projeto foi aprovado na forma de emenda substitutiva do deputado Wellington Roberto (PR-PB), que estabelece normas a serem seguidas por essas empresas, remetendo à Polícia Federal a atribuição de autorizar seu funcionamento e de controlar e fiscalizar a atuação delas com a cobrança de taxas.

O texto permite ainda o funcionamento de serviços de segurança privada nas empresas que queiram ter seu próprio corpo de seguranças, possibilidade estendida a condomínios de casas ou de apartamentos, escritórios, prédios residenciais e salas, exceto portarias.

Esse tipo de situação é denominado de serviço orgânico de segurança e abrange desde a vigilância armada até o transporte de valores, contanto que seja em benefício próprio.
Quanto à vigilância nos meios de transporte, o projeto especifica que a PF poderá autorizar o uso de arma de fogo pelos seguranças que atuam nos serviços de transporte coletivo terrestre, aquaviário ou marítimo.

Segundo o substitutivo, será exigido capital social mínimo para a obtenção de autorização de funcionamento, que varia conforme o tipo de atuação. Para as que atuam em transporte de valores, será de R$ 2 milhões. Para as de gerenciamento de risco desse transporte será de R$ 200 mil e, para as demais empresas, de R$ 500 mil. Este último valor poderá ser reduzido para R$ 125 mil no caso de empresas cujos profissionais atuem sem arma de fogo na segurança patrimonial e de eventos.

Escolas de formação de profissionais da área terão de ter capital de R$ 200 mil e as de monitoramento de sistemas eletrônicos de segurança precisarão de R$ 100 mil.

Terrorismo

Transformado na Lei 13.260/16, o projeto do Poder Executivo que tipifica o crime de terrorismo (PL 2016/15) prevê pena de reclusão de 12 a 30 anos em regime fechado, sem prejuízo das penas relativas a outras infrações decorrentes desse crime.

O substitutivo do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (SD-BA), tipifica o terrorismo como a prática, por um ou mais indivíduos, de atos por razões de xenofobia, discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia ou religião, com a finalidade de provocar terror social ou generalizado, expondo a perigo pessoa, patrimônio, a paz pública ou a incolumidade pública.

Atos de violência praticados no âmbito de manifestações de movimentos sociais não poderão ser enquadrados como ato terrorista, devendo ser enquadrados normalmente pelo Código Penal.

Para o enquadramento como terrorismo, com a finalidade explicitada, o projeto define atos terroristas o uso ou a ameaça de usar explosivos, seu transporte, guarda ou porte. Isso se aplica ainda a gases tóxicos, venenos, conteúdos biológicos, químicos, nucleares ou outros meios capazes de causar danos ou promover destruição em massa.

Também estarão sujeitos a penas de 12 a 30 anos os seguintes atos, se qualificados pela Justiça como terroristas:

sabotar o funcionamento ou apoderar-se, com violência, de meio de comunicação ou de transporte; de portos; aeroportos; estações ferroviárias ou rodoviárias; hospitais; casas de saúde; escolas; estádios esportivos; instalações de geração ou transmissão de energia; instalações militares e instalações de exploração, refino e processamento de petróleo e gás; e instituições bancárias e sua rede de atendimento; e atentar contra a vida ou a integridade física de pessoa.


Fonte: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/521658-CONFIRA-AS-PRINCIPAIS-PROPOSTAS-APROVADAS-NA-CAMARA-SOBRE-SEGURANCA.html

COMISSÃO APROVA PERMISSÃO PARA QUE GUARDAS MUNICIPAIS SEJAM CHAMADOS DE POLICIAIS MUNICIPAIS

SEGURANÇA PÚBLICA 
A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou o Projeto de Lei 5488/16, que altera o Estatuto Geral das Guardas Municipais (Lei 13.022/14) para permitir que os guardas municipais também possam ser chamados de “policiais municipais”.

O autor, deputado Delegado Waldir (PR-GO), argumenta que esses profissionais já exercem funções de polícia (uso da força, patrulhamento, proteção à vida) e a nova denominação não afetará seu estatuto jurídico, competências e atribuições.
Relator da matéria na comissão, o deputado Paulo Freire (PR-SP) também concordou que existe vínculo entre o trabalho dos órgãos policiais e dos guardas municipais, o que justifica a aprovação da medida. Ele acrescentou que “a reivindicação está em consonância com as necessidades mais urgentes de aumento de efetivos no controle do quadro nefasto de segurança pública”.

O deputado Alberto Fraga (DEM-DF), por sua vez, apresentou voto em separado. Segundo ele, se o projeto virar lei, “teremos uma grande confusão entre as competências das duas instituições”.

Tramitação

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Fonte: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/522015-COMISSAO-APROVA-PERMISSAO-PARA-QUE-GUARDAS-SEJAM-CHAMADOS-DE-POLICIAIS-MUNICIPAIS.html

O CRESCIMENTO DA VIOLÊNCIA, BRASILEIROS PROCURAM FORMAS MELHORES DE SE PROTEGEREM COM LANTERNAS TÁTICAS



MATERIAL DE APOIO 

Em tempos de insegurança e medo, o cidadão comum tem encontrado novas formas para escapar da violência do dia a dia.

Com o crescimento diário do crime e leis mais estritas quanto ao porte de armas, os brasileiros estão procurando formas melhores de protegerem a si mesmos e às suas famílias contra o crime.

A solução encontrada? Lanternas militares. Elas são cada vez mais populares como ferramentas de defesa pessoal para enfrentar a bandidagem e empresas como a X900 Lanternas Táticas mal conseguem acompanhar a demanda.

“Nós tivemos de abrir uma nova fábrica só para responder à quantidade de pedidos que estão chegando.”

A Lanterna X900 é, no momento, o modelo mais popular de lanterna tática militar entre americanos e brasileiros por causa de seu modo estroboscópio potente, que permite que o usuário lance uma luz forte nos olhos de seu atacante, deixando-o completamente desorientado.

Lanterna X900

Essas lanternas táticas são eficazes mesmo?
Se você já tirou uma foto à noite com flash, você sabe que demora um ou dois minutos para seus olhos se reajustarem. Agora imagina que esse flash é 100 vezes mais forte e pisca direto nos seus olhos. Você vai ficar cego e vai acabar perdendo seu equilíbrio também.

É isso que você terá com a lanterna tática Lanterna X900. A função estroboscópio foi desenvolvida para acabar com a visão de quem te atacar; se eles não conseguirem ver o que estão fazendo, você vai poder escapar com facilidade – ou, se precisar, terá uma vantagem para ataca-lo.

A verdade é que a maior parte das pessoas subestima a importância de se ter uma lanterna tática. Seja para caminhar sozinho á noite, esperar o resgate com o carro quebrado no meio do caminho ou só para ter uma luz forte o suficiente para espantar animais quando for acampar, lanternas táticas são tão fortes que te darão uma grande vantagem.

Sem falar que, se você estiver em uma situação de emergência, qual a melhor forma de chamar atenção para si do que com uma lanterna potente que pode ser vista a até 3 quilômetros de distância!

O kit completo da Lanterna X900 acompanha um belo estojo.

Lanternas táticas militares como a Lanterna X900 são usadas em todos os Estados Unidos por militares, bombeiros, policiais, pelos serviços de busca e pela guarda costeira – e, agora, por cidadãos comuns no Brasil.
“Em tempos como esses, é mais importante do que nunca que os brasileiros estejam preparados para qualquer coisa e essa lanterna é um dos melhores equipamentos para se ter, já que pode ser usada em praticamente qualquer situação, desde para se proteger até para encontrar seu cachorro de noite...”

Diferenciais da Lanterna X900:
 Luz 100 vezes mais forte que lanternas convencionais.
 Função Estroboscópio.
 Luminosidade que pode ser vista de até 3 quilômetros de distância.
 Construção forte e robusta, altamente durável.
Nós Experimentamos a Lanterna X900

Embora, ainda, estivéssemos bastante desconfiados, nós queríamos descobrir por nos mesmos se esse produto proporcionava tudo que ele dizia. E assim, colocamos Lanterna X900 á prova.
Quando recebemos nossas 5 Lanternas X900, percebemos já pela embalagem que elas eram boas. Elas vieram em uma caixa protetora como a de armas de fogo. A lanterna em si é pequena e leve, com vários ajustes de zoom e os modos “estroboscópio” e “zoom” que todo mundo adora.
Depois de colocar as pilhas e testá-las, ficou claro que elas são as lanternas mais fortes que já usamos. E depois de ligar modo estroboscópio por 5 segundos, tivemos de desligar, porque ele desorienta muito.


Fonte: http://mega-variado.com/Ianterna.php

19 de dez de 2016

MARIDO DE DELEGADA AGRIDE SEGURANÇA FEMININA COM SOCOS E CHUTES



 NOTÍCIAS 
Mesmo admitindo estar assustada, a segurança Edvania Nayara, 23 anos, está decidida a fazer tudo para que a agressão que sofreu, no sábado (17), não fique impune. “Medo a gente tem, porque as pessoas são muito malvadas, mas alguém tem de ter coragem e fazer algo. Quero que ele pague não só pelo que fez comigo.”

Edvania levou um soco e um pontapé no rosto do empresário Luiz Felipe Neder Silva, 34, no Clube dos Subtenentes e Sargentos do Exército do Atalaia, em Três Corações (MG), após ter tentado apartar uma briga dele com a mulher, a delegada Ana Paula Kich Gontijo. Neder está detido em um presídio da cidade mineira.

Edvania fez exame de corpo de delito e registrou boletim de ocorrência contra o agressor. Ela diz que, embora não conhecesse o empresário, sabia que ele tinha fama de violento.

A segurança conta que estava sentada observando as pessoas no clube quando Ana Paula desceu do carro de Neder, ainda em movimento. O empresário parou e foi para cima da delegada.

Percebendo o que acontecia, Edvania chamou reforço pelo rádio, aproximou-se do homem e pediu que ele parasse de agredir a mulher. “Falei que ia chamar a polícia.”

Ana Paula voltou para o carro e Edvania foi até ela. A delegada, então, pediu que ela jogasse as chaves do veículo o mais longe possível. Quando a segurança atendeu ao pedido, Neder partiu para cima dela. “Ele [Neder] pegou um canivete e um rapaz entrou no meio para me ajudar. Daí, ele deu um murro no homem, quebrando dois dentes dele.”

Amiga de Edvania, Fabiana Custódio Jusufóvic está usando sua página no Facebook para convocar uma passeata em prol da segurança e pelo combate da violência contra a mulher. A manifestação está marcada para esta segunda-feira (19), às 19h30, na praça Odilon Resende, no centro de Três Corações.


Fonte:http://estilo.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2016/12/19/medo-a-gente-tem-mas-tinha-de-fazer-algo-diz-seguranca-agredida-em-mg.htm


VÍDEO DA AGRESSÃO 


27 de nov de 2016

GANHAMOS SEM ANISTIA PARA OS CRIMES DA LAVA JATO. TEMER DIZ: "OUVI A VOZ DAS RUAS"


NOTÍCIAS 
Publicado em 27 de nov de 2016
Presidente garantiu que anistia ao caixa 2 não passará! O anúncio foi feito ao lado dos presidentes da Câmara e Senado. ENTENDA TUDO PESSOAL! Compartilhe sem parar.

A vitória é nossa, queria acabar com a Lava Jato que inclui o nome de muitos envolvidos do governo, deputados, senadores e ex presidentes, ganhamos e não vamos nos cansar de exigir nossos direitos, o próximo passo e concurso público para STJ, não haverá mais indicação para esta instituição será igual o juiz Sergio Moro através de concurso público e não indicação do presidente, aguarde a lutar será grande.

13 de nov de 2016

A HISTÓRIA DA SEGURANÇA PRIVADA - VIGILANTE QAP


SEGURANÇA PRIVADA 

A questão segurança como defesa, sensação de está seguro, protegido contra os riscos é tão antiga quanto à existência do homem.

Com a evolução do mundo, os riscos foram aumentando e já no século XVI, na Inglaterra, surgiram os primeiros ``vigilantes´´.Eram pessoas escolhidas por serem hábeis na luta e no uso da espada, remunerados por senhores feudais, com os recursos dos impostos cobrados aos cidadãos, vale lembrar que já no antigo velho oeste americano já existia pessoas que escoltava as caravanas americanas o qual poderíamos classificar como seguranças privada.

Em 1820 nos Estados Unidos, Allan Pinkerton organizou um grupo de homens para dar proteção ao então presidente Abrahan Lincoln desse modo foi criada a primeira empresa de segurança privada do mundo.
Apenas no século XIX, em 1852, que devido às deficiências naturais do poder público, os americanos Henry Wells e William Fargo criaram oficialmente a primeira empresa de segurança privada do mundo.A WELLFARGO. Que existe até hoje.
Pouco tempo depois surgiram as empresas PINKERTON´S E a conhecida entre nós BRINKS.

No Brasil, as empresas surgiram nos anos 60, em pleno período da ditadura militar, organizaram-se e foram institucionalizadas guardas armadas de instituições financeiras, como resposta aos assaltos a bancos praticados por grupos políticos de esquerda para financiar as suas ações.

E devido ao aumento de assaltos a instituições financieiras, com o objetivo de proteger patrimônios, pessoas e realizar transporte de valores iniciou-se o serviço de segurança privada do Brasil.

Desde então, surgiram os trabalhadores em segurança privada, sob várias denominações, como vigias, guardiões,rondantes, fiscais de pátio, fiscais de piso e similares, que atuam em estabelecimentos industriais, comerciais ou residências.

Esses indivíduos eram contratados por empresas de segurança gerenciadas por coronéis aposentados, que impõe aos vigias uma disciplina militar e por isso que você não pode usar barba hoje, é se ferrou .

Neste momento, anos 70,estes trabalhadores são vistos e se vêem como um grupo para-militar, idéia reforçada pelo decreto Lei nº 1034 que determinava que os elementos de segurança dos estabelecimentos de crédito,quando em serviço ,terão prerrogativas policiais.

Não sendo permitido a eles valerem-se dos direitos conquistados por outros trabalhadores, entre os quais o da organização sindical: sem o diteiro à organização e luta por melhores salários e condições de trabalho.
Nesta época, os trabalhadores do ramo de segurança se auto dividiam em dois grupos: o denominado de ``A´´, os vigilantes propriamente ditos, que atuavam nos bancos e transporte de valores usavam uniformes marrons, realizavam curso e portavam armas de fogo.

E o grupo ``B´´ atuava maciçamente nas indústrias, não realizava curso de formação para vigilantes, usava uniforme cinza e não portava armas e eram denominados vigias.
A categoria conhecida genericamente de ``vigilante´´, só ganhou qualificação profissional a partir de junho de 1983, quando a segurança privada foi regulamentada através da Lei 7.102.Assim auxiliadas,as empresa prestadoras de serviços de segurança puderam padronizar as normas de constituição e funcionamento das empresas particulares que exploram serviços de segurança privada o qual eram cursados e fiscalizado pelos órgãos de segurança estaduais à Polícia Civil.

No dia 1º de março de 1989, com sede em Brasília, foi fundada a Federação Nacional das Empresa de Segurança e Transporte de Valores-FENAVIST, com a função de estudar, defender e coordenar os interesses das categorias representadas pelos sindicatos das empresas de Segurança, Transporte de Valores e Curso de Formação de Vigilantes.
Os serviços de Segurança Privada só podem ser executados por empresas de segurança registradas no Ministério da Justiça e através da Polícia Federal que à partir de 1989 passou a fiscalizar as empresas e academias de formação, que receberam o certificado de segurança e autorização para funcionamento.

Hoje um levantamento feito pelo jornal G1 aponta que em todo o país: já são 989 mil vigilantes, quase cinco vezes o contingente do Exército brasileiro.



Loja Vigilante QAP
http://vigilanteqap.com.br/loja
Facebook www.facebook.com/vigilanteqap
Instagran @edirlansilva
Twitter @edirlansilva

Snapchat edirlansilva

IBRAGESP CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ON LINE RECONHECIDOS EM TODO TERRITÓRIO BRASILEIRO

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO 
Conheça o IBRAGESP, o 1º portal de cursos on line para os profissionais que atuam no ramo da segurança diretamente ou indiretamente.
Cursos presenciais (in company) ou 100% on line, através de vídeoaulas, materiais didáticos de qualidade e certificados com validade nacional!
Saiba mais em: www.ibragesp.com.br

SERVIÇO POLICIAL DIÁRIO E USO DE ARMAS NÃO LETAIS


SEGURANÇA PÚBLICA 

Abordagem

É o ato pelo qual o policial militar se aproxima e interpela qualquer pessoa, a pé ou em veículo, a fim de identificála e/ou proceder à busca, de cujo ato poderá ou não resultar outras ações decorrentes, como orientação, advertência, a prisão, a notificação por infração de trânsito, apreensão de coisas ou outras que a situação determine.

A abordagem ocorrerá, preferencialmente, em casos que o policial suspeite fundamentadamente da pessoa e dela só decorrerá busca pessoal se, na abordagem, forem verificadas razões para tal.

Suspeito fundado

• É a pessoa que reúne determinadas características ou é encontrada em situação ou em conduta ou com objetos que induzam o agente policial a visualizála como sendo, potencial ou efetivamente, autor de delito, proporcionando uma coincidência de semelhanças ou uma relação de quasecerteza entre a pessoa abordada e o presumindo ou certo infrator penal.

Suspeito Intuído

É aquela pessoa que, em razão dascircunstâncias de conduta, tempo e/ou lugar desperta no policial uma presunção de ameaça à tranqüilidade pública, embora tal desconfiança não possua relação direta com determinado delito.

Identificação

Compreende os procedimentos necessários para obter uma descrição conclusiva do abordado, através de uma coleta de dados rápida, a qual é efetuada junto a um sistema de informações, testemunhas, vítima ou pessoa abordada, compreendendo os seguintes dadosaspectos físicos gerais; aspectos físicos específicos; caracteres distintivos
(vestuário, adornos, adereços, pastas, sotaques, gírias, alcunhas, etc) e dados de qualificação (nome, idade, identidade civil, identidade profissional, filiação, endereço residencial, endereço profissional, profissão, subemprego, grau de instrução, data de nascimento, nacionalidade, naturalidade, etc).

Busca

É a diligência destinada a encontrar pessoa ou coisa a que se procura. Pode ocorrer a qualquer momento, desde que a circunstâncias autorizem o policial a realizar tal procedimento.

Orientação

É o ato de transmitir instruções procedimentais em relação a determinada
situação, com o intuito de fazer com que determinada pessoa tenha condições de portarse adequadamente em ocasiões futuras.

Advertência

Consiste no ato de censurar pessoa encontrada em conduta inconveniente, buscando a mudança de atitude, a fim de evitar o afloramento de infração.

Constitui conduta inconveniente aquele comportamento que ainda não se configura como infração penal.

Condução Coercitiva

Consiste no ato de encaminhar, com base no Poder de Polícia, pessoa envolvida em ocorrência policial ao órgão competente, para as devidas providências.

Criminoso

É aquela pessoa que tenha ocasionalmente cometido infração penal, sem revelar reiteração de comportamento delitivo.

Delinqüente

É aquela pessoa que reiteradamente comete infrações penais, revelando contumácia ou reiteração de comportamento delitivo

Poder de Polícia atributos são a discricionariedade, a coercibilidade e a auto executoriedade.

Nesta atuação policial devem estar presentes os requisitos necessários existência do ato administrativo:
competência: conferida pela Constituição Federal para o exercício da Polícia Ostensiva e para a Preservação da ordem Pública;
Finalidade: o bem estar da coletividade;
Forma: atuação ostensiva e, portanto, preventiva;
Motivo: caracterizado como a situação de fato aparentemente anormal ou o dever legal de agir preventivamente e no caso de veículo, por ser o procedimento precípuo para o exercício da sua função ; e
Objeto: comprovação da situação jurídica de uma pessoa.

• Caracterização da conduta suspeita se dá:
• Pelos critérios de análise de :
Circunstância de Conduta ou Modo
Circunstância de Tempo
Circunstância de Lugar
• Princípios da abordagem Policial:
• Legalidade
• Planejamento prévio
• Segurança
• Surpresa
• Rapidez
• Ação vigorosa
• Unidade de Comando
• Fases da abordagem Policial
• Planejamento Tático Mental
• Plano de Ação

Procedimento de abordagem (comunicação a sala de operações, tomada de posições, anunciação, busca, identificação, decisão decorrente da abordagem, uso de algemas se for o caso e encerramento)

Busca:

A busca pode ser pessoal, veicular ou domiciliar, classificandose em:
• (a) Busca Ligeira;
• (b) Busca Minuciosa;
• (c) Busca em Delinqüente

A busca em mulheres deverá ser realizada sempre por policial feminina, sendo que, nos casos em que não houver disponibilidade de tal profissional e o aguardo da presença dela implicar em atraso das diligências, os Policiais Militares masculinos deverão apenas realizar a revista em bolsas, agasalhos ou outras peças onde possam estar escondidas armas ou objetos ou produtos de crimes, lavrandose, de tudo, o devido termo pelo responsável, bem como arrolandose testemunhas.

Do uso de algemas:

uso da algema admissível nas seguinte situações:
• No caso de resistência a ordem legal
• No caso de fundado receio de fuga
• No caso de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros.

Espingarda Cal 12 anti distúrbio e suas munições

As Espingardas Calibre 12 utilizadas para atividades de controle de distúrbios civis, reintegração de posse, policiamento em estádios de futebol e manifestações públicas de caráter geral, utilizarão a cor laranja para identificação por parte do Policial Militar na operação;

Anti distúrbio e suas munições
A Espingarda Cal 12 antidistúrbio, utilizada como arma de fogo menos letal, deverá possuir a cor laranja na coronha e na telha, sendo que na coronha levará a inscrição “menos letal” em letras na cor preta.

Identificação dos cartuchos:

Os cartuchos calibre 12 carregados com projéteis menos letais, em uso na Corporação, fabricados pela empresa CBC, possuem as mesmas bases de latão e gravações no culote que os convencionais carregados com chumbo, porém, apresentam o corpo plástico transparente e incolor, permitindo observar a sua carga com projéteis de plástico ou de borracha, possuindo também a inscrição lateral "CBC Anti Motim". Atualmente são de três tipos, com as seguintes características

Com gravação lateral "CBC Anti Motim": É um cartucho com carga de múltiplos projéteis plásticos (tipo lentilha) transparentes e incolores (aproximadamente quatro centenas), cujo fechamento é feito pela orla superior do estojo de plástico (tipo estrela); (min 5 m – máx 10 m)

Com gravação lateral "CBC Anti Motim MD": É um cartucho com carga de vinte bagos de borracha de cor preta, cada um com 8 mm de diâmetro, cujo fechamento é feito com um disco de papelão na cor laranja, que é seguro pela orla superior do estojo de plástico; (min10 m – máx 20 m)

Com gravação lateral "CBC Anti Motim LD": É um cartucho com carga de três bagos de borracha de cor preta, cada um com 18 mm de diâmetro, cujo fechamento é o primeiro bago de borracha, que é seguro pela orla superior do estojo de plástico. (min 20 m –máx 50 m)

Os cartuchos calibre 12 carregados com projéteis menos letais, em uso na Corporação, fabricados pela empresa CONDOR, possuem as mesmas bases de latão e gravações no culote que os convencionais carregados com chumbo, porém, apresentam o corpo plástico transparente e incolor, permitindo observar a sua carga com projéteis de borracha, possuindo também a inscrição lateral "projétil(is) de borracha". Atualmente são de cinco tipos, com as seguintes características: antidistúrbio e suas munições borracha na cor preta – monoimpact; (min 20m – máx 50 m)
• a) AM 403: contendo apenas um projétil de borracha;
• b) AM 403/A: contendo três projeteis de borracha na cor preta– trimpact; (min 20 m –máx 50 m)
• c) AM 403/C: contendo três projeteis deborracha na cor preta – trimpact; (min 20 m –máx 40 m)
• d) AM 403/M: contendo doze projeteis de borracha na cor preta – multimpact; (min 20m – máx 40 m)
• e) AM 403/P: contendo apenas um projétil de borracha na cor amarela – precision (min 20m – máx 50 m)

Devem ser respeitadas as distâncias mínimas e munições de emprego de cada cartucho, pois disparo sem distâncias inferiores às recomendadas
podem ser letais, todavia disparos em distâncias maiores serão inócuos;
• Disparos devem ser efetuados na altura dos joelhos.
• Se o agressor não for dissuadido, sua aproximação o colocará em distâncias nas quais os disparos causarão incapacitação parcial ou morte, por conseqüência de disparos a distâncias inferiores ao recomendado ou à queimaroupa, principalmente com o cartucho "com distâncias máximas de 50 Metros", contidos na tabela acima;
• A munição Cal 12 Anti Motim/Menos Letal deverá ser armazenada e utilizada separadamente da munição com carga de chumbo; o porte e utilização da respectiva arma e munição menos letal, por parte de um policial militar, não o desonera de portar armamento e munições convencionais;

• O policial portador de armamento antidistúrbio deverá ser acompanhado de no mínimo mais um policial militar com armamento convencional, a fim de que não se perca o potencial defensivo em situações que evoluam para um risco maior da perda da vida ou da integridade física;


Este é um cartucho "Anti Motim" para espingarda Gauge 12, da CBC, que era usado contra turbas, manifestantes em situação de cometimento de crime, ou com o ânimo um pouco mais exaltado. Digo era usado pois ele não é fabricado mais. Esse cartucho é cheio de pequenas esferas de plástico e o seu efeito físico é esse que vemos na foto. Mas o efeito psicológico e moral no indivíduo e na turba é muito mais positivo. Ele consegue dissuadir o manifestante em não prosseguir na ação que está cometendo e ainda preserva a sua vida, isto é, é um ótimo equipamento Menos Que Letal!!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...