"NÓS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA, NÃO QUEREMOS SER QUALIFICADOS E SIM OS MELHORES"

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

9 de ago de 2016

CRIMINALIDADE ASSOLA O RIO NO INÍCIO DA OLIMPÍADA, APESAR DA FORÇA DE SEGURANÇA DE 85 MIL


                                                                        NOTÍCIAS 

Homens das Forças Armadas reforçam a segurança na estátua do Cristo Redentor, um dos pontos turísticos mais visitados do Rio

Se combater batedores de carteira fosse um esporte olímpico, as autoridades brasileiras seriam candidatas à medalha.

Diante da alta da criminalidade de rua, o governo estadual está empregando no Rio uma força policial de 85 mil, entre os quais 23 mil soldados que montam guarda nos cruzamentos movimentados ou percorrem as ruas em jipes militares, com suas armas apontadas ameaçadoramente para a calçada.

Em uma das demonstrações mais intrigantes, um navio da Marinha brasileira está patrulhando ao longo da famosa praia de Ipanema da cidade.

Mesmo assim, a demonstração esmagadora de força não conseguiu reprimir o crime. O chefe de segurança da cerimônia de abertura foi assaltado com uma faca na noite de sexta-feira, enquanto saía do Maracanã; uma bala perdida atingiu a sala de imprensa do Centro de Hipismo no sábado, por pouco não acertando um dirigente esportivo da Nova Zelândia; e na noite de sábado, o ministro da Educação de Portugal foi assaltado enquanto caminhava na direção da Lagoa, local da realização das provas de remo.

Nos preparativos para a Olimpíada, as autoridades brasileiras se viram diante de uma série de problemas que assustaram alguns visitantes estrangeiros, como o medo da epidemia da zika, a ameaça de ataques terroristas e reportagens pouco lisonjeiras que destacavam as águas poluídas da cidade.

Mas é o recente aumento da criminalidade de rua que tem mais enervado as autoridades municipais e os moradores, que temem que seu aumento embaraçoso possa arranhar o orgulho e euforia que tomaram conta desde o início dos Jogos na noite de sexta-feira.

Apesar dos mais recentes incidentes, incluindo um alarme falso de bomba no sábado, perto da linha de chegada de uma prova de ciclismo masculina, a maioria dos visitantes e moradores diz se sentir segura.

"Este deve ser o lugar mais seguro do Brasil no momento", disse Isabela Carvalho, uma vendedora de sorvete de 46 anos, enquanto policiais militares aceleravam suas motos, com sirenes ligadas.

Mas a demonstração de força também provocou críticas de ativistas de direitos humanos, que temem que o policiamento excessivamente agressivo possa levar a abusos, especialmente nas favelas.

Na semana passada, uma operação conjunta da polícia e das forças armadas em uma dessas comunidades, o Complexo do Alemão, terminou com duas pessoas mortas.

Mesmo assim, muitos cariocas estão mais preocupados com a criminalidade de rua comum, que as autoridades brasileiras prometeram tratar em sua campanha bem-sucedida em 2009 para sediar os Jogos.

Ocorreram perto de 11 mil roubos de rua em junho, um aumento de 81% em comparação ao mesmo mês no ano passado. Além disso, dizem os especialistas, há o fato de muitos crimes não serem registrados pelas vítimas, que presumem que a polícia fará pouco esforço para solucioná-los.

Problemas orçamentários também atrapalharam as autoridades enquanto tentavam combater a violência entre os narcotraficantes e a polícia, que aterroriza muitos dos moradores mais pobres da cidade.

"A tensão é palpável", disse Meg Healy, uma americana de 24 anos que vive no Rio, antes do início dos Jogos.


Policiais fazem segurança durante a passagem da tocha por São João de Meriti

Em junho, Healy, uma planejadora urbana, foi assaltada com uma faca; quatro dias depois, um menino que ela disse que parecia ter menos de 7 anos tentou roubar sua bolsa a poucos passos de seu apartamento.

Outras vítimas recentes de crime incluem Fernando Echavarri, um velejador espanhol medalhista olímpico, e Liesl Tesch, uma velejadora paralímpica australiana, que foi assaltada à mão armada. Poucos dias antes do início dos Jogos, atletas jamaicanos que estavam hospedados perto do aeroporto relataram ter ouvido disparos durante toda a noite.

As autoridades têm buscado tranquilizar os visitantes, apontando que a força de segurança tem um contingente duas vezes maior do que o usado durante a Olimpíada de Londres de 2012. Elas também lembram que o Rio já sediou com sucesso outros grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo de 2014.

Os problemas de segurança da cidade foram exacerbados por um severo arrocho orçamentário, que atrapalhou a capacidade do governo de pagar os salários dos policiais. O senso de crise foi ressaltado em junho, quando o governo estadual declarou "calamidade financeira".

Nas últimas semanas, policiais que disseram que seus salários estão atrasados ou foram apenas parcialmente pagos realizaram uma manifestação no aeroporto internacional do Rio, segurando cartazes para os passageiros que chegavam dizendo, "Bem-vindos ao inferno".

Fábio Neira, um comissário da polícia civil, disse que os salários atrasados reduzem o moral. "Isso cria enormes dificuldades financeiras para nós, porque você tem que pagar suas contas, eletricidade e aluguel no começo do mês", ele disse em uma entrevista.

Apesar do governo federal ter fornecido subsequentemente uma ajuda de US$ 850 milhões para as despesas de segurança durante os Jogos, Neira disse que o dinheiro não cobre nem mesmo as horas extras de maio ou junho.

As condições de trabalho, ele acrescentou, continuam péssimas, notando que algumas delegacias não possuem canetas, papel higiênico ou dinheiro para gasolina.

Apesar da imprensa brasileira tender a se concentrar nos assaltos de rua ousados ou na violência que ocorre nos bairros mais ricos da cidade, os especialistas dizem que são os moradores pobres do rio que mais sofrem com o aumento da criminalidade.

A professora Julita Lemgruber, coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Candido Mendes, no Rio, disse que o aumento da criminalidade de rua se deve em parte aos esforços fracassados de melhorar a segurança pública nas favelas da cidade.

Em 2008, o Estado do Rio de Janeiro deu início a uma iniciativa ambiciosa, a criação de Unidades de Polícia Pacificadora, que foram responsáveis por combater as gangues do narcotráfico que atuavam com impunidade. O programa, que também empregava policiamento comunitário e obras sociais, é citado nos documentos olímpicos como um fator importante para tratar das antigas preocupações de segurança da cidade.

Atila Roque, o diretor executivo da Anistia Internacional no Brasil, disse que o programa é repleto de abusos e exacerbou as tensões entre a polícia e os moradores, alguns dos quais pediram pelo fim do esforço.

No ano passado, a polícia foi responsável por 20% dos homicídios na cidade, segundo a Anistia Internacional, que usou dados do Instituto de Segurança Pública estadual. Ocorreram 645 mortes por policiais no ano passado, em comparação a 400 em 2013. O número de pessoas que morreram nas mãos da polícia entre abril e junho deste ano dobrou em relação ao mesmo período no ano passado, segundo dados.

Os mortos eram em sua maioria homens negros jovens.

Uma das comunidades mais duramente atingidas pela violência policial é a Maré, uma vasta favela situada entre o aeroporto internacional do Rio e os bairros de renda mais alta de Ipanema e Copacabana. As autoridades há muito lutam para conter a violência provocada pela guerra entre narcotraficantes e milícias. Nos meses que antecederam a Copa do Mundo, o Exército ocupou a comunidade por um ano.

Eliana Sousa Silva, que foi criada na Maré e é fundadora de um grupo local sem fins lucrativos, disse que as operações policiais se tornaram mais frequentes com a aproximação da Olimpíada. No final do mês passado, os jornalistas que vivem no bairro relataram três dias consecutivos de operações policiais envolvendo troca pesada de tiros.

"A Olimpíada, a Copa do Mundo e outros megaeventos no Rio costumam ser momentos tensos para os moradores da Maré", ela disse, acrescentando que as operações policiais costumam ser executadas com mão pesada. "O governo precisa assegurar que nada aconteça, para mostrar o Rio ao mundo."

Neste ano não foi diferente. Alguns dos soldados enviados à cidade foram posicionados nas entradas das favelas. Outros foram posicionados ao longo das vias que formam os chamados corredores de segurança.

Roque, da Anistia Internacional, disse que se preocupa com os militares atuando com impunidade.

"O que estamos vendo na segurança pública vai contra todo o princípio dos Jogos Olímpicos, o espírito dos Jogos Olímpicos", ele disse. "Violência não deveria fazer parte dos Jogos."

Fonte: http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/the-new-york-times/2016/08/08/criminalidade-assola-o-rio-no-inicio-da-olimpiada-apesar-da-forca-de-seguranca-de-85-mil.htm

5 de ago de 2016

DICAS DE SEGURANÇA RESIDENCIAL

SEGURANÇA ELETRÔNICA 

- Atualmente os ladrões estão escolhendo casas sem câmeras de vigilância e com reféns (pessoas no local). Isso facilita a abertura de cofres e o roubo de objetos de valor.
- A maioria dos bandidos age em ruas sem monitoramento de imagens e com muitas arvores e pouca luz, pois ajuda na camuflagem.
- É importante que a guarita esteja segura e equipada gravador digital de vídeo (DVR), assim o porteiro não precisa deixar o seu posto, evitando invasões.
- Fique atento! Os bandidos preferem agir de manha e no fim da tarde. Horário em que os moradores estão chegando ou saindo.
- Os bandidos observam a rotina da casa antes de comete o crime. Câmeras de segurança voltadas para rua intimidam os “observadores”.
- Suportes de lixo, caixa de luz ou ar condicionado próximo a muros servem como escada na hora da invasão.
- Muitos ladrões se intimidam com a presenta de câmeras CFTV e alarmes.
- Terrenos baldios próximos a residência podem servir como rota de fuga e para guardar objetos roubas das residências.
- A maioria dos invasores possuem informações privilegiadas da rotina do domicilio, seja por parte de prestadores de serviços ou ex-empregados.
- Instale um ótimo circuito fechado de TV (CFTV)! Ladroes adoram muros altos, pois conseguem entra na casa sem serem visto pelos vigias e pessoas que passam na rua.
- Metade das invasões acontece pelos locais que os moradores descuidam da segurança, como fundos e pavimentos superiores, onde é importante ter câmeras instaladas.


Fonte: cftv.tv.br

FALSO CADEIRANTE ENTRA NO BANCO E RENDE VIGILANTE

                                                            VÍDEO DE SEGURANÇA 

O vigilante permitiu a entrada do cadeirante na agência mas não fez a revista, deu as costas e foi surpreendido por ladrões que assaltaram a agencia.
Neste caso específico o vigilante deveria antes do cadeirante entrar pedir para tirar a coberta de cima de seu colo e na segunda opção desconfiando solicitar que um funcionário do banco vá la no auto atendimento ou de lado externo do banco que atenda o cliente.

DICAS DE EMPREGO DE SEGURANÇA PRIVADA

SEGURANÇA PRIVADA 


Acesse pelos links abaixo
Curso Técnico de CFTVhttp://vigilanteqap.com.br/loja2/curs...
Curso Completo Segurança Eletrônica Total – Vídeo Aula (H.D)
http://vigilanteqap.com.br/loja2/Curs...ça-Eletronica 
Loja Vigilante QAP
http://vigilanteqap.com.br/loja
Quer me enviar algo?
EDIRLAN S. DE A. E SILVA
CAIXA POSTAL 044504
SERRA-ES
CEP: 29164-973

LOJA VIGILANTE QAP

SEGURANÇA PRIVADA DO BRASIL 

Loja Vigilante QAP
http://vigilanteqap.com.br/loja

Facebook www.facebook.com/vigilanteqap
Instagran @edirlansilva
Twitter @edirlansilva
Snapchat edirlansilva

Quer me enviar algo?
EDIRLAN S. DE A. E SILVA
CAIXA POSTAL 044504
SERRA-ES
CEP: 29164-973

Site oficial: www.vigilanteqap.com.br

Ao entrar em contato não esqueça de mencionar que viu no blog SEGURANÇA PRIVADA DO BRASIL 

6 de jul de 2016

AS TROPAS DE ELITE MAIS TEMIDAS DO MUNDO


SEGURANÇA PÚBLICA 

Sejam civis, militares ou federais, a missão desses policiais é basicamente a mesma: intervir quando os convencionais não dão conta. É como dizia o pôster do filme “SWAT”: Até a polícia disca 911


1. SWAT (Estados Unidos)
Nome completo: Special Weapons and Tactics (armas e táticas especiais, em inglês)
Criado em: 1967 (Los Angeles)
O que é: unidade especial da polícia de várias cidades norte-americanas. A mais famosa é a da cidade de Los Angeles, na Califórnia
Especialidade: eram os quebra-quebras nos guetos, mas hoje o grupo se preocupa mais com terrorismo e atentados em escolas
Destaque: seus integrantes já receberam centenas de comendas, citações e prêmios por heroísmo na linha de combate
B.O.: os caras são meio folgados. Em 2003, atenderam 255 ocorrências. Ou seja, tiveram 110 dias tranqüilos
Multimídia: além da clássica série de TV setentista, que rendeu um filme em 2003, a SWAT inspirou videogames, reality shows, brinquedos e um quadro clássico no extinto programa "Os Trapalhões", da Globo

2. YAMAN (Israel)
Nome completo: Yehidat Mishtara Meyuhedet (unidade policial especial, em hebraico)
Criado em: 1974
O que é: unidade especial da polícia civil israelense
Especialidade: operações de resgate de reféns e ofensivas antiterror em áreas civis
Destaque: diferentemente da maioria das tropas de elite policiais, eles recrutam seus agentes nas forças armadas
B.O.: mataram muita gente nas ações. Pergunte aos palestinos o que eles acham do grupo
Multimídia: seus soldados popularizaram um tipo de arte marcial chamado Krav Magá


3. BOPE (Brasil)
Nome completo: Batalhão de Operações Policiais Especiais
Criado em: 1978
O que é: divisão especial da polícia militar do Rio de Janeiro
Especialidade: incursão, patrulha e combate ao crime em favelas, muitas vezes no veículo blindado conhecido como Caveirão - o nome oficial é Pacificador
Destaque: um membro da Guarda Nacional dos EUA fez curso no Bope e disse que "nossas tropas no Iraque deveriam aprender com eles"
B.O.: ONGs atribuem ao Bope um grande número de mortes de civis e abuso dos direitos humanos
Multimídia: o livro "Elite da Tropa", que detalha o dia-a-dia do Bope, virou best-seller e inspirou o filme "Tropa de Elite", maior sucesso das bancas de camelô e do cinema brasileiro em 2007. Além de inspirar vários funks cariocas, seu símbolo (uma caveira com uma faca enfiada e duas pistolas) virou moda


4. OMON (Rússia)
Nome completo: Otryad Militsii Osobogo Naznacheniya (esquadrão policial de objetivos especiais, em russo)
Criado em: 1979
O que é: unidade especial da polícia russa
Especialidade: situações com reféns e protestos de rua
Destaque: é uma das poucas instituições que sobreviveram à queda da antiga União Soviética
B.O.: o lema dos caras é: "Não conhecemos piedade; não peça nenhuma"
Multimídia: vídeos com ações desastrosas do OMON fazem sucesso no YouTube

5. SDU (Hong Kong)
Nome completo: Special Duties Unit (unidade de tarefas especiais)
Criado em: 1974
O que é: unidade de elite da polícia militar de Hong Kong
Especialidade: combate ao tráfico de drogas em operações aquáticas
Destaque: os "tigres voadores" ganham bem. No primeiro ano de serviço, já têm carrão. Quando se aposentam, levam 2 milhões de dólares locais (cerca de R$ 450 mil)
B.O.: "mascarados", não treinam com outras forças de elite chinesas
Multimídia: a SDU aparece em muitos filmes clássicos de kung-fu, e têm papel de destaque na obra do diretor John Woo


6. CO19 (Inglaterra)
Nome completo: Specialist Firearms Command (comando especializado em armas de fogo)
Criado em: 1966
O que é: departamento da polícia de Londres que "protege" a polícia normal - que normalmente não porta armas de fogo
Especialidade: entram nas situações mais complexas
Destaque: estão se reciclando para estarem nos trinques durante a Olimpíada de 2012, em Londres
B.O.: foram oficiais da CO19 que mataram o brasileiro Jean Charles de Menezes no metrô de Londres
Multimídia: geralmente, são retratados de forma positiva na TV

7. GSG9 (Alemanha)
Nome completo: Grenzschutzgruppe 9 (grupo de guardas de fronteira 9)
Criado em: 1973
O que é: batalhão da polícia federal, foi criado após o atentado na Olimpíada de Munique, em 1972
Especialidade: contra-terrorismo. Neste ano desmontaram célula da Al Qaeda com 730 kg de explosivos
Destaque: são bicampeões (2005-2006) do SWAT World Challenge, a olimpíada das tropas
B.O.: criticada internacionalmente por não dividir suas informações sobre atividades terroristas
Multimídia: na Alemanha, há uma série de televisão chamada "GSG 9 - Die Elite Einheit" (adivinhe só: "GSG 9 - A Tropa de Elite")

8. STF (África do Sul)
Nome completo: Special Task Force (força tarefa especial)
Criado em: 1976
O que é: unidade de operações especiais da polícia sul-africana
Especialidade: combate em terrenos hostis
Destaque: a formação é considerada a mais completa do mundo. O treinamento básico dura 26 semanas. O curso avançado, que inclui mergulho, segurança VIP, explosivos e treinamento médico, pode durar até três anos
B.O.: em 2004, STF perdeu metade de seus membros para firmas de segurança no Iraque
Multimídia: o concurso de admissão, aberto para todos, é um dos mais disputados do país

9. SWCU (China)
Nome completo: Snow Wolf Commando Unit (unidade de comando lobo da neve)
Criado em: 2002
O que é: unidade especial da Polícia Armada do Povo, por sua vez um órgão paramilitar
Especialidade: criada para garantir a segurança na Olimpíada de Pequim, no ano que vem
Destaque: os "lobos da neve" estão se equipando com o que há de mais moderno e caro no mundo
B.O.: os agentes têm em média 22 anos, e a inexperiência pesa quando a chapa esquenta
Multimídia: como os caras vêm treinando em sigilo, fotos e informações sobre seu armamento exclusivo bombam na internet

10. GIGN (França)
Nome completo: Groupe d'Intervention de la Gendarmerie Nationale (grupo de intervenção da polícia nacional)
Criado em: 1973
O que é: tropa de elite da polícia federal francesa
Especialidade: resgate de reféns
Destaque: desde a sua criação, o grupo realizou 1.000 operações, liberou 500 reféns, prendeu mais de 1.000 suspeitos e matou 12 terroristas. Perdeu dois homens e dois cachorros
B.O.: minorias étnicas reclamam das ações do grupo
Multimídia: o GIGN inspirou uma linha de brinquedos na França e é uma das melhores "personagens" no game clássico Counter Strike


Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG79714-7937-196,00-AS+TROPAS+DE+ELITE+MAIS+TEMIDAS+DO+MUNDO.html

3 de jul de 2016

COLETE BALÍSTICO SALVA VIDA DE VIGILANTE EM ASSALTO

NOTÍCIAS 

Colete salva vida de vigilante em assalto na RMC

O colete balístico é um Equipamento de Proteção Individual - EPI, obrigatório para vigilantes armados. Nesta segunda-feira, esse equipamento salvou a vida de um vigilante em Araucária na Região Metropolitana de Curitiba.

Quando fechava o portão da empresa, ocupantes de um veículo pararam e deram voz de assalto ao trabalhador. Sem poder reagir o vigilante levou um tiro na barriga, que mesmo passando pelo colete, o equipamento segurou o impacto e evitou que o projétil ficasse alojado.

O Sindvigilantes faz um alerta para que os trabalhadores verifiquem as condições de seus equipamentos e se necessário solicitem a troca ou reparo pela empresa. Pois com o aumento da criminalidade o vigilante está se tornando alvo frequente e as boas condições dos equipamentos de proteção são fundamentais.

O vigilante foi encaminhado ao Hospital Municipal de Araucária.

PORTARIA SIT/DSST Nº 194 DE 07.12.2010
D.O.U.: 08.12.2010

Altera a Norma Regulamentadora n.º 6 (Equipamentos de Proteção Individual - EPI).

NR 6 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7)

6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso individual, de fabricação nacional ou estrangeira, destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador.

6.2. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:

a) sempre que as medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis ou não oferecerem completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho e/ou de doenças profissionais e do trabalho; (106.001-5 / I2)

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2)

c) para atender a situações de emergência. (106.003-1 / I2)

6.3. Atendidas as peculiaridades de cada atividade profissional e respeitando-se o disposto no item 6.2, o empregador deve fornecer aos trabalhadores os seguintes EPI:

6.4.1. Nas empresas desobrigadas de possuir CIPA, cabe ao empregador, mediante orientação técnica, fornecer e determinar o uso do EPI adequado à proteção da integridade física do trabalhador.

6.5. O EPI, de fabricação nacional ou importado, só poderá ser colocado à venda, comercializado ou utilizado, quando possuir o Certificado de Aprovação - CA, expedido pelo Ministério do Trabalho e da Administração - MTA, atendido o disposto no subitem 6.9.3. (106.006-6 / I2)

6.6. Obrigações do empregador.

6.6.1. Obriga-se o empregador quanto ao EPI a:

a) adquirir o tipo adequado à atividade do empregado; (106.007-4 / I2)

b) fornecer ao empregado somente EPI aprovado pelo MTA e de empresas cadastradas no DNSST/MTA; (106.008-2 / I4)

c) treinar o trabalhador sobre o seu uso adequado; (106.009-0 / I1)

d) tornar obrigatório o seu uso; (106.010-4 / I2)

e) substituí-lo, imediatamente, quando danificado ou extraviado; (106.011-2 / I2)

f) responsabilizar-se pela sua higienização e manutenção periódica; (106.012-0 / I1)

g) comunicar ao MTA qualquer irregularidade observada no EPI. (106.013-9 / I1)

6.7. Obrigações do empregado.

6.7.1. Obriga-se o empregado, quanto ao EPI, a:

a) usá-lo apenas para a finalidade a que se destina;

b) responsabilizar-se por sua guarda e conservação;

c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
MJ - DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL
PORTARIA Nº 3.233/2012-DG/DPF, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2012

Dispõe sobre as normas relacionadas às atividades de Segurança Privada.

Seção IV
Dos Direitos
Art. 163. Assegura-se ao vigilante:
III - a utilização de materiais e equipamentos em perfeito funcionamento e
estado de conservação, inclusive armas e munições; (incluindo Colete Balístico)


Seção V
Dos Deveres
Art. 164. São deveres dos vigilantes:
V - comunicar, ao seu superior hierárquico, quaisquer incidentes ocorridos no
serviço, assim como quaisquer irregularidades relativas ao equipamento que utiliza, em especial quanto ao armamento, munições e colete à prova de balas, não se eximindo o empregador do dever de fiscalização.

ATOS QUE CONSTITUEM JUSTA CAUSA

DIREITO E JUSTIÇA 

DECRETO LEI N.º 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943 

Artigo 482 da CLT - ATOS QUE CONSTITUEM JUSTA CAUSA 

Com base no Artigo 482 da CLT e sua alíneas, são os seguintes atos que constituem justa causa para a resolução do contrato de trabalho pelo empregador:

Alìnea a. Ato de Improbidade
Improbidade, regra geral, é toda ação ou omissão desonesta do empregado, que revelam desonestidade, abuso de confiança, fraude ou má-fé, visando a uma vantagem para si ou para outrem. Ex.: furto, adulteração de documentos pessoais ou pertencentes ao empregador, etc. 

Alìnea b. Incontinência de Conduta ou Mau Procedimento 
São duas justas causas semelhantes, mas não são sinônimas. Mau procedimento é gênero do qual incontinência é espécie. 
A incontinência revela-se pelos excessos ou imoderações, entendendo-se a inconveniência de hábitos e costumes, pela imoderação de linguagem ou de gestos. Ocorre quando o empregado comete ofensa ao pudor, pornografia ou obscenidade, desrespeito aos colegas de trabalho e à empresa. 
Mau procedimento caracteriza-se com o comportamento incorreto, irregular do empregado, através da prática de atos que firam a discrição pessoal, o respeito, que ofendam a dignidade, tornando impossível ou sobremaneira onerosa a manutenção do vínculo empregatício, e que não se enquadre na definição das demais justas causas. 

Alìnea c. Negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou for prejudicial ao serviço;
Ocorre justa causa se o empregado, sem autorização expressa do empregador, por escrito ou verbalmente, exerce, de forma habitual, atividade concorrente, explorando o mesmo ramo de negócio, ou exerce outra atividade que, embora não concorrente, prejudique o exercício de sua função na empresa. 

Alìnea d. Condenação Criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da execução da pena; 
O despedimento do empregado justificadamente é viável pela impossibilidade material de subsistência do vínculo empregatício, uma vez que, cumprindo pena criminal, o empregado não poderá exercer atividade na empresa. 
A condenação criminal deve ter passado em julgado, ou seja, não pode ser recorrível. 

Alìnea e. Desídia no desempenho das respectivas funções; 
A desídia é o tipo de falta grave que, na maioria das vezes, consiste na repetição de pequenas faltas leves, que se vão acumulando até culminar na dispensa do empregado. Isto não quer dizer que uma só falta não possa configurar desídia. 
Os elementos caracterizadores são o descumprimento pelo empregado da obrigação de maneira diligente e sob horário o serviço que lhe está afeito. São elementos materiais, ainda, a pouca produção, os atrasos frequentes, as faltas injustificadas ao serviço, a produção imperfeita e outros fatos que prejudicam a empresa e demonstram o desinteresse do empregado pelas suas funções. 

Alìnea f. Embriaguez Habitual ou em Serviço 
A embriaguez deve ser habitual. Só haverá embriaguez habitual quando o trabalhador substituir a normalidade pela anormalidade, tornando-se um alcoólatra, patológico ou não. 
Para a configuração da justa causa, é irrelevante o grau de embriaguez e tampouco a sua causa, sendo bastante que o indivíduo se apresente embriagado no serviço ou se embebede no decorrer dele. 
O álcool é a causa mais frequente da embriaguez. Nada obsta, porém, que esta seja provocada por substâncias de efeitos análogos (psicotrópicos). 
De qualquer forma, a embriaguez deve ser comprovada através de exame médico pericial. 
Entretanto, a jurisprudência trabalhista vem considerando a embriaguez contínua como uma doença, e não como um fato para a justa causa. É preferível que o empregador enseje esforços no sentido de encaminhar o empregado nesta situação a acompanhamento clínico e psicológico.

Alìnea g. Violação de Segredo da Empresa 
A revelação só caracterizará violação se for feita a terceiro interessado, capaz de causar prejuízo à empresa, ou a possibilidade de causá-lo de maneira apreciável. 

Alìnea h. Ato de Indisciplina ou de Insubordinação 
Tanto na indisciplina como na insubordinação existe atentado a deveres jurídicos assumidos pelo empregado pelo simples fato de sua condição de empregado subordinado. 
A desobediência a uma ordem específica, verbal ou escrita, constitui ato típico de insubordinação; a desobediência a uma norma genérica constitui ato típico de indisciplina. 

Alìnea i. Abandono de Emprego 
A falta injustificada ao serviço por mais de trinta dias faz presumir o abandono de emprego, conforme entendimento jurisprudencial. 
Existem, no entanto, circunstâncias que fazem caracterizar o abandono antes dos trinta dias. É o caso do empregado que demonstra intenção de não mais voltar ao serviço. 
Por exemplo, o empregado é surpreendido trabalhando em outra empresa durante o período em que deveria estar prestando serviços na primeira empresa. 

Alìnea j.ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;
As ofensas físicas constituem falta grave quando têm relação com o vínculo empregatício, praticadas em serviço ou contra superiores hierárquicos, mesmo fora da empresa. 
As agressões contra terceiros, estranhos à relação empregatícia, por razões alheias à vida empresarial, constituirá justa causa quando se relacionarem ao fato de ocorrerem em serviço. 
A legítima defesa exclui a justa causa. Considera-se legítima defesa, quem, usando moderadamente os meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem. 

Alìnea k. Ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;
São considerados lesivos à honra e à boa fama gestos ou palavras que importem em expor outrem ao desprezo de terceiros ou por qualquer meio magoá-lo em sua dignidade pessoal. 
Na aplicação da justa causa devem ser observados os hábitos de linguagem no local de trabalho, origem territorial do empregado, ambiente onde a expressão é usada, a forma e o modo em que as palavras foram pronunciadas, grau de educação do empregado e outros elementos que se fizerem necessários. 

Alìnea l. Prática constante de jogos de Azar
Jogo de azar é aquele em que o ganho e a perda dependem exclusiva ou principalmente de sorte. 
Para que o jogo de azar constitua justa causa, é imprescindível que o jogador tenha intuito de lucro, de ganhar um bem economicamente apreciável. 

Alìnea m. Atos Atentatórios à Segurança Nacional 
A prática de atos atentatórios contra a segurança nacional, desde que apurados pelas autoridades administrativas, é motivo justificado para a rescisão contratual.  


ATESTADO FALSO PODE GERAR JUSTA CAUSA E ATÉ CADEIA


LEGISLAÇÃO E NORMAS 
Sabe aquele ditado “está brincando com fogo”? Pois é...

 Apresentar atestado médico falso na empresa para justificar uma falta, além de poder ser penalizado com a demissão por JUSTA CAUSA  (pela quebra de fidúcia, boa-fé, lealdade – Artigo 482 da CLT alínea a – Ato de Improbidade), também pode dar cadeia conforme Código Penal.!

 O Código Penal Brasileiro diz, no Artigo 297, que é crime falsificar, no todo ou em parte, documento público, ou alterar documento público verdadeiro.
 A pena - Reclusão , de dois a seis anos, e multa.


Então profissionais de segurança fiquem espertos com Atestado Médico, muitas empresas consulta o CID o código que o médico coloca no Atestado, quando o médico constata realmente sua doença ele coloca o código correto, mas quando solicitado pelo paciente para justificar sua falta o médico não constatando realmente seu diagnóstico coloca qualquer CID o que realmente vem dificultar seu caso, fique de olhos abertos pois temos muitas empresas que estão de olho hein!!!!!!!

27 de jun de 2016

MÉTODO WILLIAN T FINE PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ANÁLISE DE RISCOS

TREINAMENTO 
Publicado em 22 de jun de 2016
O método Willian T. Fine é uma ferramenta que o auxiliará na elaboração de projetos de análise de riscos, demonstrando o grau de criticidade e a justificativa para o investimento.

LIVRO - PROJETO DE SEGURANÇA GESTÃO, ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO

INFORMAÇÃO 


SINOPSE

Este livro aborda de forma didática todas as ferramentas para a elaboração de um projeto de segurança. É uma obra fundamental para os gestores de segurança privada e pública que queiram elaborar projetos de segurança de qualidade.


DETALHES DA OBRA

Autor: Luiz Fernando de Lima Paulo
Editora: Habemus Livros
ISBN: 9788569236030
Código de barras: 9788569236030
Idioma: Português

Formato: livro impresso (14x21)


DESCONTO NA COMPRA DO LIVRO

Os interessados que enviar um e-mail para contato@ibragesp.com.br e falar que viu o anúncio no  blog SEGURANÇA PRIVADA DO BRASIL terá um desconto de  R$ 39,90 pagará apenas R$ 36,00.

25 de jun de 2016

NR 16 VIGILANTES TEM NOVA REGULAMENTAÇÃO E APOSENTADORIA ESPECIAL

LEGISLAÇÃO / NORMAS 

Finalmente a história teve um final feliz. A Norma Reguladora 16 (NR16), a qual em caráter definitivo – estabelece a garantia do adicional de 30% a título de periculosidade (art. 193, II da CLT incluído pela Lei n.º 12.740/2012) a todos os vigilantes do País, foi assinada e os profissionais da área já podem comemorar a conquista.

Na prática isso significa que os vigilantes terão direito a receber o adicional, armados e desarmados, expostos a risco de vida e a agentes nocivos à saúde do trabalhador. “Observe que dessa forma com a aplicação do novo regulamento os profissionais terão mais expectativas e perspectivas de trabalho. É importante ressaltar ainda, neste momento, que é preciso pensar ainda na conquista definitiva da aposentadoria especial, cujo benefício, na via administrativa, era sistematicamente negado pelo INSS. A posição oficial, contudo, via de regra, era alterada judicialmente”, explicou o Diretor da GLOBALSEG – Marcelo Ferlini.

Os Tribunais Federais e o Superior Tribunal de Justiça aceitaram a tese de que aos 25 anos de exercício o direito do vigilante é líquido e certo. Note que a Instrução Normativa do INSS/PRES nº 20, de 10/10/2007, define a figura do vigilante, do guarda ou do vigia, como sendo o empregado garantidor da segurança patrimonial das instituições, de estabelecimentos públicos ou privados, de pessoas ou de residências, entre outros, contra ações de criminosos.

Pela própria definição da atividade é evidente a periculosidade, devido a possibilidade, iminente e real dos mesmos virem a sofrer algum dano a sua integridade física. “Tal norma fez com que várias decisão na Justiça fossem revertidas em favor dos empregados, merecidamente”, pontua Marcelo Ferlini.

O que os vigilantes precisam saber é que a aposentadoria especial está livre do fator previdenciário e também independe da idade como requisito para concessão. Mas entre os condicionantes, está à apresentação de PPP- Perfil Profissiográfico Previdenciário e LTCAT – Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho, que precisa atender a legislação específica de cada época.

É importante saber também que as atividades consideradas prejudiciais á saúde foram definidas pela legislação previdenciária, pelos Decretos 53.831/64, 83.080/79 e 2.172/97. “Diante das condições específicas de trabalho, fica evidente a especialidade da atividade de vigilante, de guarda ou de vigia, devidamente inseridos no contexto da lei, o seu direcionamento para aposentadoria especial, em face da periculosidade, da exposição ao risco, real e iminente de sua integridade física, porte de armas, na permanência de seu trabalho”, diz o diretor Marcelo Ferlini.

Matéria por: Marcelo Ferlini - Diretor da GLOBALSEG

Fonte:http://www.diogenesbandeira.com.br/2016/05/nr16-vigilantes-tem-nova-regulamentacao.html

15 de jun de 2016

QUAL A DIFERENÇA DO VIGILANTE PARA O POLICIAL?


                                                    VÍDEO DE SEGURANÇA 

Publicado em 30 de mai de 2016
De certo uma lacuna distancia uma função da outra, o policial tem treinamento especifico e uma dedicação tremenda para chegar a ocupar a esse posto, um Sargento nunca voltara a ser Soldado, isso na Segurança privada não ocorre, um Vigilante de Transporte de Valores esta Vigilante de Transporte de Valores, a qualquer momento ele pode perder seu cargo, algo que não ocorre na carreira Policial, veja no vídeo uma abordagem completa do assunto.

Loja Vigilante QAP
http://vigilanteqap.com.br/loja

Facebook www.facebook.com/vigilanteqap
Instagran @edirlansilva
Twitter @edirlansilva

Site oficial: www.vigilanteqap.com.br

RETORNANDO COM A ESCOLTA E RONDA MOTORIZADA PAPO QAP 09


                                                    VÍDEO DE SEGURANÇA 
Publicado em 17 de jan de 2016
No Papo QAP dessa semana estarei respondendo a duas perguntas de nossos inscritos, a primeira fala do retorno da Escolta Armada, legalidade de perímetro bem como seus armamentos, a segunda pergunta é relacionado sobre Ronda Motorizada.

Loja Vigilante QAP
http://vigilanteqap.com.br/loja

Facebook www.facebook.com/vigilanteqap
Instagran @edirlansilva
Twitter @edirlansilva

Site oficial: www.vigilanteqap.com.br

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...