"NÓS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA, NÃO QUEREMOS SER QUALIFICADOS E SIM OS MELHORES"

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

28 de jun de 2014

MARINHA DO BRASIL REFORÇA NA SEGURANÇA DO ESTÁDIO DA ARENA DO BEIRA RIO



FORÇAS AMADAS 

Há 12 sedes de jogos da Copa 2014 no Brasil, muitas em cidades localizadas na costa do litoral brasileiro, tais como Fortaleza, Natal, Recife, Salvador e em próximos a grandes rios como Manaus.
Porém, só uma sede tem o estádio às margens do mar ou rio, que é Porto Alegre. Aliás não um, mas dois, o estádio oficial Beira-Rio para os jogos  e a Arena do Grêmio, usada para treinamento das seleções.
O estádio Beira-Rio está nas margens do agora reconhecido pelos geógrafos como Lago Guaíba.
Para mostrar este ineditismo e caso único dos sistemas de segurança e defesa adotados pelos Centros de Defesa de Área em todo o país o DefesaNet acompanhou as ações do 5º Distrito Naval, durante o jogo Holanda e Austrália (18JUN14).
Um fria manhã, com água gélida e um forte vento persistente tornavam a navegação no Lago Guaíba muito similar ao nível 1 de ondas em ambiente oceânico.
A localização do estádio na parte mais ampla do Lago dependendo do vento pode tornar as ondas bem problemáticas para a navegação. Em especial pela baixa profundidade em muitos locais e pedras no leito do lago..
Passam pelo canal do Lago embarcações carregadas de produtos químicos e petroquímicos para o Polo Petroquímico de Triunfo, graneleiros e conduzindo adubos assim como uma linha de passageiros em catamarans, ligando Porto Alegre à cidade de Guaíba. Todo o fluxo de grandes barcos está em transito para ou do Porto de Rio Grande.

O controle foi estabelecido no eixo Norte – Sul.

A primeira preocupação é com a regularidade e controle da navegação convencional. Documentação e registros das embarcações são verificadas ao passarem pelo Farol de Itapuã (Posição  SUL), divisa do lago Guaíba e Lagoa dos Patos e próximo à ponte do Guaíba (Posição Norte).

Assim o local onde está o estádio Beira-Rio fica totalmente sob controle para as navegação das grandes embarcações.

Participam desta atividade as seguintes embarcações:
- R-21 Rebocador de Alto-Mar Tritão (ao largo do estádio Beira Rio);
- V-15  Corveta Imperial Marinheiro, e,  
- H-18 Navio-balizador Comandante Varela (junto à Travessia Guaiba) (parte Norte).
Para uma segurança aproximada ou ameaças assimétricas e no caso de alguém tentar furar o círculo de segurança no entorno ao estádio Beira-Rio por água, ou outra situação.
Neste caso são empregadas oito lanchas e inclusive Jet-skis pela maior velocidade e rapidez de intervenção. Porém, a forte correnteza, com as últimas chuvas carregam muitos objetos, que ficam parcialmente submersos podendo tornar perigosa a navegação para barcos rápidos e leves.
Do ar um helicóptero Esquilo do Grupamento baseado em Rio Grande vigia a área incorporando-se ao demais da Brigada Militar e Exército.
A ação é comandada pelo  Vice-Almirante, Leonardo Puntel, Comandante do 5° Distrito Naval, no Lago Guaíba. Participa também a Capitania dos Portos de Porto Alegre, liderada pelo Comandante Zampieri  Ao todo são mobilizados cerca de 400 homens, entre marinheiros destes 40 são Fuzileiros Navais.
Ações terroristas? Nesta parte a MB simplesmente informou que é responsabilidade da Polícia Federal. Também não confirma se há membros dos GRUMEC (Grupamento dos Mergulhadores de Combate) para abordagem.
Ele trabalha em cooperação estreita com a Polícia Federal, que também possui barcos-patrulha no Guaíba e Jacuí
Os navios e meios empregados na segurança do Guaíba são em sua maioria subordinados ao Grupamento de Patrulha Naval do Sul e empregados nas operações de busca e salvamento nas águas do Sul do Brasil.

Fonte:http://www.defesanet.com.br/

Matéria: Nelson Düring e Ricardo Fan

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...