"NÓS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA, NÃO QUEREMOS SER QUALIFICADOS E SIM OS MELHORES"

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

SUA PROTEÇÃO É A NOSSA PROFISSÃO

1 de abr de 2010

PORTAS GIRATÓRIAS NÃO AGRADAM CLIENTES, MAS GARANTEM SUA SEGURANÇA

                                                               SEGURANÇA PRIVADA


As portas giratórias que travam ao perceberem objetos metálicos, e a abordagem de seguranças pedindo a retirada destes objetos da bolsa ou pastas, pode não agradar a maioria dos clientes de bancos, mas é obrigatória e garante a segurança dos estabelecimentos e dos próprios usuários.celulares, molho de chaves, sombrinhas, bolsas com adereços metálicos, acessórios de roupas, fivelas de calçados e cintos, até o metal de embalagens de remédios, podem acionar o detector da porta giratória, aí não tem jeito, é preciso colocar tudo na gôndola para poder entrar no banco. Apesar de deixar muita gente descontente, a medida está prevista na legislação, e sua aplicação é fiscalizada pela Polícia Federal."Se analisar como usuário, realmente há um certo desconforto, mas por outro lado você tem uma segurança maior, é isso que impede o assaltante de entrar no local, por exemplo", pondera o gerente da empresa Orsegups, empresa especializada em segurança privada, Érico Alves Küster, sobre a atuação dos vigilantes, que ficam junto às portas giratórias controlando o acesso ao banco. A presença de profissionais de segurança é uma exigência da Polícia Federal e Küster esclarece que o vigilante tem por obrigação pedir que os objetos metálicos sejam postos na gôndola ou verificar bolsas, pastas ou sacolas, no caso de o usuário não conseguir entrar no estabelecimento. Só após estes procedimentos o profissional da segurança está autorizado a permitir que o cliente entre."O usuário gostaria de ter acesso liberado e não quer ser abordado, mas o segurança é preparado para isso e tem suporte para lidar com as pessoas", comenta reiterando que quanto maior a dificuldade de acesso, menor é a chance de um bandido conseguir entrar, "com essa limitação, o assaltante vai procurar locais onde o acesso é mais fácil e o cliente corre um risco menor de ser vítima", considera."Cada instituição financeira tem no mínimo dois agentes, mas os números variam de acordo com o tamanho e o movimento", fala o gerente, que alerta ainda para o risco de casas lotéricas e financiadoras, onde há grande movimentação financeira e o cliente não conta com esta proteção.Sobre as reclamações, alega que semestralmente os postos de trabalho são visitados, para verificar os possíveis problemas existentes, "além de cumprir a legislação é uma questão de qualidade e tudo isso contribui para que melhore o atendimento lá na ponta", diz.O coordenador regional da Orsegups, Wilson Borges Bentien, ressalta que para cada estabelecimento existe uma norma específica, e os seguranças atuam conforme as exigências do local de trabalho. Bem como a ocorrência de diferentes graus de tolerância das portas giratórias, o que permite, por exemplo, que a pessoa consiga passar com um celular na porta giratória de um banco e seja barrada em outro.Bentien explica ainda que, nos cursos de capacitação, os seguranças passam por avaliações psicológicas, aprende técnicas de defesa, tem noções de legislação, assim como manuseio de armas, prática de tiro e treinamento em portas giratórias.

Fonte: Correio Lageano - SC
Publicado: http://segurancaprivadadobrasil.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...